“O ser humano é feliz quando está em equilíbrio e age de acordo com a vida”. Com essa frase, o filósofo grego Sócrates demonstra que seria um excelente oncologista! A Oncologia moderna compreende que o bem viver, a felicidade e a qualidade de vida são importantes não apenas para a satisfação dos nossos pacientes, mas também para o aumento das chances de cura e da sobrevida no tratamento do câncer. Não é correto focar apenas na resposta do tumor ao tratamento oncológico. A qualidade de vida do paciente necessariamente deve ser levada em consideração em todo o planejamento do tratamento.

Mas o que é mesmo qualidade de vida? Cada pessoa tem a sua resposta para essa pergunta. A Organização Mundial de Saúde criou um grupo de estudo que chegou a uma definição (simplificada) aceita internacionalmente: “Qualidade de vida é a percepção do indivíduo, em relação aos seus sistemas de valores, expectativas e preocupações”.

A Qualidade de vida é definida de forma exclusiva pelo próprio paciente. O médico e a família devem escutar atentamente. Duas pessoas podem ter reações bastante diferentes a uma mesma doença. Também se descobriu que a qualidade de vida não é uma coisa só.  Ela possui diversos domínios que são: a) FÍSICO (dor, fadiga), b) SOCIAL (suporte social, recreação), c) EMOCIONAL (autoestima, autoimagem), d) MEIO AMBIENTE (segurança, transporte). Cada sintoma também possui diversas particularidades. A fadiga – um sintoma muito frequente por exemplo – é composta de três tipos: a) fadiga física, b) fadiga emocional e c) fadiga cognitiva.  Os tratamentos oncológicos, sempre que possível, devem interferir o mínimo na independência do paciente. Especialmente importante é a preservação de massa muscular, da capacidade de caminhar e da memória ou cognição.

Bons resultados no tratamento oncológico são alcançados quando se foca não apenas no câncer mais sim no paciente como um todo na sua qualidade de vida.

Gostaria também de deixar algumas sugestões gerais para os pacientes em tratamento oncológico com o objetivo que eles consigam melhorar a sua qualidade de vida.

1-    Priorize o que seja realmente importante para você!
2-    Não tente resolver todos os problemas de uma vez ou ter controle sobre tudo. Isto tira muito a sua energia.
3-    Faça aquilo que você gosta e possa realizar de forma confortável!
4-     Mantenha a esperança.
5-     Não tenham medo de fazer planos.
6-    Solicite ajuda quando precisar.  Seja aberto com seus familiares e amigos sobre como você se sente e como eles podem lhe ajudar. 

Dr. Antônio Fabiano Ferreira
Médico Oncologista | Diretor da Oncosinos