No dia 24 de Abril foi veiculado no Jornal Repercurssão – a matéria: Continuidade do tratamento oncológico é essencial mesmo em meio à pandemia.

Entrevista com o Dr. Antônio Fabiano Ferreira e Dra. Daniela Lessa.

Segue texto na íntegra.

Em meio à pandemia de coronavírus, é grande a preocupação com aqueles que fazem parte do grupo de risco. Entre eles, estão os pacientes que estão na luta contra o câncer e as dúvidas que possuem quanto a continuidade de seus tratamentos, que podem baixar a imunidade, aumentando ainda mais o risco perante o Covid-19.

Os doutores Daniela Lessa e Antonio Fabiano Filho, da clínica oncológica Oncosinos, localizada em Novo Hamburgo, trazem alguns esclarecimentos frente às preocupações dos pacientes. É destacado pelos médicos a importância de manter o tratamento, mesmo em meio à pandemia, “o potencial de benefício do tratamento contra o câncer permanece o mesmo durante a pandemia. Na maioria absoluta dos casos, os tratamentos devem sim ser mantidos”, afirmam. Porém, há casos que devem ser adaptados, considerando diminuir o tempo em que o paciente circula para o tratamento oncológico, situações estas que devem ser analisadas junto ao médico oncologista.

Os doutores ainda falaram sobre o que fazer perante a dúvida de um diagnóstico, os riscos em meio a pandemia e a importância do acompanhamento médico. Confira:

Entrevista: Daniela Lessa e Antônio Fabiano Filho, médicos oncologistas da Cliníca Oncosinos de Novo Hamburgo

“O principal risco é ficar sem tratamento”

Jornal Repercussão – Se uma pessoa tiver identificado sintomas relativos a um câncer, o que ela deve fazer?

Oncosinos – O diagnóstico e o tratamento precoce de pacientes com câncer não devem ser comprometidos durante uma pandemia. No entanto, a real necessidade de realização de qualquer procedimento invasivo deve ser colocada na balança em relação ao risco aumentado durante uma pandemia e deve ser avaliada em um cenário individual, caso-a-caso.

Jornal Repercussão – Quais os riscos que um paciente com câncer tem ao fazer o tratamento durante a pandemia?

Oncosinos – O principal risco para o paciente oncológico na maior parte das vezes é, na realidade, ficar sem tratamento, mesmo que durante uma pandemia. Por isso, o acompanhamento com profissional especializado é fundamental!

Equipe de tratamento

Os médicos ainda destacam a importância de cada paciente seguir com o acompanhamento para avaliar o seu caso. “É muito importante que o paciente tenha uma Equipe de Tratamento Oncológica em que ele(a) possa confiar plenamente em todos os momentos e onde esclarecer todas as suas dúvidas com tranquilidade e acolhimento. Cada paciente é único e assim deve ser tratado”, defendem.