PARA CADA CASO UM ESTUDO INDIVIDUALIZADO

“O diagnóstico de câncer não é uma sentença de morte, mesmo em casos com metástase [quando o câncer se espalha para outras partes do corpo]”, afirma o oncologista clínico Antônio Fabiano Ferreira Filho, da clínica Oncosinos, de Novo Hamburgo. Sem dúvida, isso traz um alento a pacientes e familiares que recebem a notícia de identificação da doença.

De um lado a sensação normal de urgência e angústia com o diagnóstico e de outro a esperança nos últimos avanços da Medicina contra o câncer.  Conforme o médico, a partir do diagnóstico, o planejamento inicial é, sem dúvida, a parte mais importante do tratamento.  Em torno de 80 a 90% dos casos de câncer de próstata inicial (localizado), não existe um crescimento tumoral acelerado e o paciente pode ouvir as opiniões do oncologista, urolologista e radioterapeuta. Dessa forma, terá todas as informações para seguir o seu plano de tratamento traçado, com mais confiança e segurança.

Normalmente, em sete a dez dias um oncologista clínico consegue analisar exames e a fisiologia do paciente, em uma investigação que considera idade e outras eventuais doenças, como diabetes, hipertensão e obesidade, por exemplo. “Estes são fatores que, além do PSA e da biópsia também influenciam o planejamento e decisão sobre o melhor tratamento a seguir”, indica Dr. Antônio Fabiano Ferreira.

COMO PODEMOS ANALISAR

A partir deste estudo, baseado ainda nos exames de níveis de PSA(1) e no Escore de Gleason(2) – uma pontuação dada a um câncer de próstata conforme sua aparência microscópica – um oncologista clínico pode indicar sua opinião sobre a melhor opção de tratamento que pode ser cirurgia, radioterapia e/ou bloqueio hormonal. “Cada caso é um caso, mas de acordo com a classificação do tipo de câncer, que pode ser mais agressivo ou de crescimento mais lento, a equipe médica em conjunto, irá sugerir a melhor forma de se tratar a doença”, ressalta o oncologista.

Cada situação é única. “Até em casos de metástases é frequentemente possível realizar terapia de bloqueio do hormônio masculino (testosterona), com medicações ou com orquiectomia (cirurgia de retirada dos testículos), controlando a doença de forma adequada por anos”, indica Dr. Antônio Fabiano. Em alguns casos de doença com metástases, pode ser necessário o tratamento quimioterápico que, contrariamente a crença popular, tem ajudado muitos pacientes a viver mais e melhor, com menos sintomas tais como dor.

Segundo o médico, cada vez mais existem formas de tratamento que aumentam a qualidade de vida dos pacientes, além do tempo de vida.

IMPORTANTE SABER

A próstata é uma glândula que faz parte do sistema reprodutor masculino, responsável por produzir uma secreção fluida para nutrição e transporte dos espermatozoides. Situa-se logo abaixo da bexiga e à frente do reto, sendo atravessada pela uretra, canal que se estende desde a bexiga até a extremidade do pênis e por onde a urina é eliminada.

  • PSA – Antígeno Prostático Específico – PSA é uma proteína que é produzida pelo tecido prostático. Se o homem tem tecido prostático, tanto benigno como maligno, ela será detectada no exame de sangue
  • Escore de Gleason – também conhecido como escala ou pontuação de Gleason é uma pontuação dada a um câncer de próstata baseada em sua aparência microscópica.