A cada 36 minutos, um homem morre no Brasil vítima de câncer de próstata. Chamar a atenção para a necessidade de diagnosticar precocemente esse tipo de câncer, que é o segundo mais comum entre os homens brasileiros (atrás do câncer de pele não melanoma), é um dos objetivos da campanha Novembro Azul. Um dos focos da mobilização é incentivar as consultas de rotina com urologista. Na entrevista, o oncologista Antônio Fabiano Ferreira FIlho, da Oncosinos – Novo Hamburgo, destaca a doença e cita outros problemas de saúde os homens devem ficar atentos.

A taxa de mortalidade do câncer de próstata no Brasil é de 25%, segundo a SBU. Quais fatores estão envolvidos neste índice?

Apesar dos avanços no diagnóstico precoce do câncer de próstata, cerca de 20% dos pacientes ainda são diagnósticos com doença avançada, o que torna mais difícil o processo de cura. Outro fator envolvido é biológico. Alguns tumores, são inicialmente mais agressivos, mesmo quando diagnosticados em estados não tão avançados.

Quais os principais sintomas do câncer de próstata?

O câncer de próstata em suas fases iniciais não causa sintomas. A ocorrência de sangue na urina ou no esperma são manifestações pouco frequentes de câncer de próstata.

No entanto, sua presença, especialmente em pacientes em homens de mais idade, deve levar a uma avaliação médica. Em pacientes com doença mais avançada, pode haver o desenvolvimento de dor óssea.

Há relação entre o câncer de próstata e impotência sexual?

Não. No entanto, como o câncer de próstata acomete especialmente uma parcela mais idosa da população masculina, essa população pode apresentar, de forma fisiológica, uma diminuição na função erétil.

É possível detectar a doença com o exame de sangue (PSA)?

Um aumento dos níveis de PSA pode sugerir a presença do câncer de próstata, cujo diagnóstico definitivo é feito através de biópsia e exame anátomo-patológico. É importante enfatizar que o exame de toque retal é importantíssimo como complemento e como estadiamento da extensão da doença.

Como prevenir a doença?

Com hábitos de vida saudáveis e consultas médicas regulares.

Esse câncer tem cura?

Sim. Quanto mais precoce o diagnóstico, maiores as chances de cura. É muito importante enfatizar que o avanço da medicina ocorreu não apenas na prevenção. O prognóstico dos pacientes, especialmente aqueles com metástases, melhorou muito.

Existe algum grupo com risco maior de ter doença?

Sim, o câncer de próstata também possui um componente genético. Familiares de primeiro grau de pacientes acometidos passou um risco maior.

A que outras doenças os homens devem ficar atentos?

Os homens devem ficar atentos às doenças cardiovasculares e ao diabete mellitus. Outra questão que devemos focar é a prevenção da depressão. Neste sentido, o exercício e a interação social com os amigos e familiares é fundamental. Gostaria também de chamar a atenção para as doenças da cognição (memória). Com o envelhecimento da população, esse é um grande problema das sociedades modernas. O hábito da leitura diária é a melhor forma de prevenir o decréscimo da função da memória.

Entrevista para Caderno Saúde – Jornal NH, de 06 a 12 de Novembro de 2017.