Há cerca de 2,7 milhões de “injeções” na veia todos os dias nos EUA. Muitas vezes tratamentos e outras exames de sangue, pois através deles são tomadas mais de 70% das decisões médicas.

A punção venosa é uma função ambígua da medicina moderna; Há o sangue retirado para exames, para doações e muito mais, o que ocorre é que os enfermeiros estão constantemente buscando a veia certa para delicadamente espetá-la. Mas, apesar da grande execução do procedimento, ele continua sendo uma tarefa árdua. Encontrar uma veia muitas vezes é difícil, cerca de 30 por cento dos pacientes necessitam de mais de uma tentativa.

Sabendo deste problema e buscando sempre amenizar as dificuldades e criar novos métodos de diminuir a dor, uma empresa com sede em Nova York, desenvolveu recentemente um dispositivo que poderia ajudar a pôr fim às “veias perdidas”. Ele usa tecnologia infravermelha não invasiva para projetar uma imagem das veias de uma pessoa sobre a superfície da pele; Quando o braço de um paciente é escaneado, a musculatura aparece vermelha e as veias mostram linhas escuras.

Embora a tecnologia utilizada tenha ocorrido há quase uma década, ela recentemente tornou-se viável para uso em uma configuração padrão de cuidados de saúde. Os dispositivos de visualização da veia precoce eram muito caros para a maioria das clínicas de saúde, além disso, ele pesava muito para que tivesse um uso prático. Há pouquíssimo tempo, conseguiram desenvolver o equipamento de menor tamanho, este pesa  um pouco mais de um aparelho celular, e este dispositivo já está sendo usado em grandes centros dos EUA, principalmente em Instituições de cuidados, incluindo muitos hospitais universitários. Antes dele, a única opção para encontrar uma veia, especialmente com pacientes jovens, idosos, de pele escura e obesos, estava passando por muitos problemas.
A tecnologia de busca de veias, elimina estes problemas. Combinado com o menor tempo que leva para realizar um procedimento, leva a um maior nível de confiança entre os técnicos de punção venosa e o paciente.
Um técnico confiante significa um paciente confiante.

Um estudo apresentado na Convenção Anual da Sociedade de Enfermagem de Infusão de 2014 mostrou que 81% dos enfermeiros sentiram que eram mais capazes usando os dispositivos de visualização de veias. A maioria dos entrevistados também informaram que estariam dispostos a não trabalhar para uma clínica ou Instituições que não usassem esse dispositivo se fosse dada a ele esta opção. Além disso, pode ajudar a diminuir os medos associados as agulhas e aumentar o número de pessoas vacinadas todos os anos. “Há geralmente dois tipos de pessoas que não são vacinadas”, diz o Dr. William McKay, professor de gerenciamento de dor na Universidade da Saskatchewan.
“As primeiras são pessoas que são paranoicas sobre as vacinas e pensam que fazem mais mal do que bem. As segundas são pessoas com fobia com agulhas. Talvez não haja muita coisa que a tecnologia possa fazer para ajudar o primeiro grupo, mas os dispositivos de visualização da veia podem aliviar os medos do segundo grupo.” (Fonte: newsweek.com)

A Oncosinos importou este equipamento, assim que ele foi liberado ao mercado. Um gesto mínimo para um resultado importante – Tudo para tornar os tratamentos menos desagradáveis e desta forma, com melhores resultados.