O que há de novo para a prevenção do câncer de colo de útero?

O exame de Papanicolaou, exame preventivo para o câncer de colo de útero, é capaz de prevenir a doença detectando lesões pré-malignas como NIC I, II ou III, ou mesmo tumores invasivos em seus estágios iniciais. Nas populações que têm amplo acesso aos programas de rastreamento, a incidência e mortalidade por câncer de colo de útero demonstraram queda significativa; entretanto, existe uma grande parte da população, especialmente no Brasil, que não participa efetivamente de programas de rastreamento. As causas para a falha nos programas de prevenção são várias, e usualmente as mulheres em maior risco são as que apresentam chance menor de realizarem os exames e tratamentos adequados.

O número elevado de parceiros sexuais e infecções por doenças sexualmente transmissíveis são alguns dos principais fatores de risco para o câncer cervical. A infecção persistente pelo HPV (Human Papillomavirus), especialmente os subtipos 16 e 18, está associada a este câncer em mais de 70% dos casos, além de estar associada, em proporções variáveis, ao câncer de ânus, vulva, vagina e pênis.

O que há de novo? As novidades incluem dois estudos avaliando vacinas contra o HPV, inclusive com a participação de centros brasileiros. Estes estudos estão demonstrando que é possível reduzir a chance de infecções pelo HPV e a ocorrência de lesões pré-malignas em cerca de 90% dos casos. É provável que as vacinas sejam aprovadas pelos órgãos reguladores de saúde em breve, possibilitando o acesso a mais uma arma na luta contra o câncer de colo de útero.

Fonte: Dra. Daniela Lessa – Oncologista da Oncosinos